Logotipo Emtel Seminovos

Blog

Transferência de veículo: tudo que você precisa saber

Transferência de veículo: tudo que você precisa saber

Ao comprar ou vender um veículo, além da alegria de realizar seu objetivo, você obrigatoriamente se depara com a seguinte situação: transferência de veículo, documentação, papelada. O que fazer agora?  

Não é nada que possa te tirar o sono, na verdade é um procedimento bem simples. Entretanto, a falta de qualquer pequeno procedimento ou documento pode enrolar todo o negócio e dar um trabalho danado para uma ou ambas as partes envolvidas.

Para que você não passe por apuros, fizemos esse conteúdo com os detalhes mais importantes, que você precisa conhecer antes da transferência de veículo. Boa leitura!

O primeiro passo para a transferência de veículo é reunir todos os documentos!

Antes de qualquer coisa, se prepare para revirar suas gavetas e encontrar os seguintes documentos pedidos pelo Detran:

  • Documento de identificação do proprietário atual (CPF, RG ou CNH);
  • Recibo original de venda do veículo, preenchido pelo antigo proprietário;
  • Certificado de Licenciamento do veículo;
  • Atestado do Renavam constando ausência de pendências relacionadas ao veículo (pode ser solicitado em qualquer unidade do Denatran) + duas cópias;
  • Cópia do comprovante de residência do comprador, dos últimos três meses.

Com os documentos em mãos, vá até o cartório

Após reunir toda a papelada necessária, é preciso ir até o cartório para reconhecer a autenticidade do Certificado de Registro do Veículo (Documento principal do carro). 

Esta ocasião requer a presença do comprador e vendedor (com documentos de identificação – RG/CNH) ou seus representantes legais, que podem ser autorizados por meio de procuração caso não seja possível que alguma ou ambas as partes possam comparecer.

Importante lembrar que esta etapa tem o prazo máximo de 30 dias para ser realizada, caso contrário, é entendido como infração grave, que gera multa de R$ 195,23 reais além de implicar a retenção do veículo até regularização. No momento, em meio à pandemia que estamos vivendo, não está em vigor o prazo de 30 dias. Sendo assim, enquanto durar essa situação, não há multa de recibo. 

Taxas e Pagamentos

Primeiramente, é importante lembrar que o veículo não pode ser transferido caso exista alguma pendência financeira vinculada. Desta forma, multas de trânsito, seguro DPVAT, IPVA, Licenciamento e qualquer outro tipo de pendência deve ser resolvida antes da transferência de veículo.

Além de resolver os problemas do passado, para a transferência também é necessário o pagamento da taxa de transferência obrigatória do Detran que varia de acordo com a localidade. Para saber o valor exato consulte o site do Detran de seu Estado.

Pronto! Agora você está preparada(a) para realizar sua transferência de veículo sem dores de cabeça. Para que tudo corra bem e corretamente, siga esses passos e as instruções dos profissionais de cada etapa! Aprenda mais sobre veículos e tudo sobre seu universo em nosso blog!

Transferência de veículo: tudo que você precisa saber

Transferência de veículo: tudo que você precisa saber

Ao comprar ou vender um veículo, além da alegria de realizar seu objetivo, você obrigatoriamente se depara com a seguinte situação: transferência de veículo, documentação, papelada. O que fazer agora?  

Não é nada que possa te tirar o sono, na verdade é um procedimento bem simples. Entretanto, a falta de qualquer pequeno procedimento ou documento pode enrolar todo o negócio e dar um trabalho danado para uma ou ambas as partes envolvidas.

Para que você não passe por apuros, fizemos esse conteúdo com os detalhes mais importantes, que você precisa conhecer antes da transferência de veículo. Boa leitura!

O primeiro passo para a transferência de veículo é reunir todos os documentos!

Antes de qualquer coisa, se prepare para revirar suas gavetas e encontrar os seguintes documentos pedidos pelo Detran:

  • Documento de identificação do proprietário atual (CPF, RG ou CNH);
  • Recibo original de venda do veículo, preenchido pelo antigo proprietário;
  • Certificado de Licenciamento do veículo;
  • Atestado do Renavam constando ausência de pendências relacionadas ao veículo (pode ser solicitado em qualquer unidade do Denatran) + duas cópias;
  • Cópia do comprovante de residência do comprador, dos últimos três meses.

Com os documentos em mãos, vá até o cartório

Após reunir toda a papelada necessária, é preciso ir até o cartório para reconhecer a autenticidade do Certificado de Registro do Veículo (Documento principal do carro). 

Esta ocasião requer a presença do comprador e vendedor (com documentos de identificação – RG/CNH) ou seus representantes legais, que podem ser autorizados por meio de procuração caso não seja possível que alguma ou ambas as partes possam comparecer.

Importante lembrar que esta etapa tem o prazo máximo de 30 dias para ser realizada, caso contrário, é entendido como infração grave, que gera multa de R$ 195,23 reais além de implicar a retenção do veículo até regularização. No momento, em meio à pandemia que estamos vivendo, não está em vigor o prazo de 30 dias. Sendo assim, enquanto durar essa situação, não há multa de recibo. 

Taxas e Pagamentos

Primeiramente, é importante lembrar que o veículo não pode ser transferido caso exista alguma pendência financeira vinculada. Desta forma, multas de trânsito, seguro DPVAT, IPVA, Licenciamento e qualquer outro tipo de pendência deve ser resolvida antes da transferência de veículo.

Além de resolver os problemas do passado, para a transferência também é necessário o pagamento da taxa de transferência obrigatória do Detran que varia de acordo com a localidade. Para saber o valor exato consulte o site do Detran de seu Estado.

Pronto! Agora você está preparada(a) para realizar sua transferência de veículo sem dores de cabeça. Para que tudo corra bem e corretamente, siga esses passos e as instruções dos profissionais de cada etapa! Aprenda mais sobre veículos e tudo sobre seu universo em nosso blog!

5 dicas para cuidar do seu veículo diariamente

5 dicas para cuidar do seu veículo diariamente

Cuidar do seu veículo diariamente é essencial para maximizar a durabilidade das peças, seja parte do motor, transmissão, suspensão, freios ou eletrônica. Para isso, é preciso muito mais que colocar combustível, completar óleo, uma ducha ou “aguinha” no radiador.

Existem alguns hábitos e ações de manutenção preventiva no dia a dia que aumentam a durabilidade do veículo, reduzem as chances de surpresas desagradáveis e as visitas inesperadas no mecânico.

Confira essas 5 dicas para cuidar do seu veículo e evite dores de cabeça!

Dica 1 – Limpeza é mais que estética, mantenha seu carro limpo

Certas pessoas tratam o carro como um ente da família e outras como um bandido miserável. Tenha em mente que a limpeza vai além da estética. O interior do automóvel, quando mau cuidado, acumula substâncias nocivas para a saúde e manchas irreparáveis.

Em relação ao exterior, a sujeira em excesso e acumulada por muito tempo, danifica a pintura do carro e causa mau funcionamento de peças, como limpador de para brisas, freios, amortecedores, fixadores em geral e até alguns componentes elétricos. Portanto, dê um “toque” todo dia para cuidar do seu veículo.

Dica 2 – Câmbio não é descanso de braço!

Alguns hábitos podem ser eliminados e outros adquiridos para cuidar do seu veículo todos os dias. Quem nunca dirigiu com a mão no câmbio que atire a primeira pedra. 

Apesar do conforto, a alavanca do câmbio está diretamente fixada na caixa de transmissão. Desta forma, todo movimento e pressão vai direto ao seletor, ou seja, aumenta o desgaste das peças, diminui o tempo para aparecer barulhos e dificuldade na hora de trocar as marchas.

Dica 3 – Não estacione com as rodas viradas

Existe o costume de se estacionar com as rodas viradas, seja por preguiça, esquecimento após a manobra ou para garantir que o carro não desça ladeira abaixo caso o freio de mão falhe (para isso não acontecer basta deixar o carro engatado). 

Quando estacionado dessa maneira, toda a carga é aplicada nas engrenagens, conexões e fixadores das rodas, assim, qualquer pequeno impacto no veículo pode causar danos sérios e, futuramente, arriscar a saúde ou até a vida dos motoristas e passageiros.

Dica 4 – Coloque o pé na embreagem só quando for trocar de marcha!

Assim como o câmbio não é descanso para o braço, a embreagem não é para o pé. Manter o pé na embreagem deixa o engate desacoplado e as engrenagens “mal” encaixadas. Essa falta de encaixe perfeito causa atrito intenso e pode acabar gastando sua embreagem muito antes do que espera.

Dica 5 – Dirigir com cuidado é cuidar do seu veículo e vida

Não é novidade que as ruas, avenidas e estradas brasileiras são esburacadas e quase sempre em mau estado de conservação. Faça sua parte, respeite os limites de velocidade, mantenha a atenção na condição do asfalto que está passando e tenha empatia com os outros motoristas. 

Conduzir seu veículo dessa maneira te ajuda a evitar buracos, lombadas, valetas e acidentes, situações onde o dano pode ser tanto ínfimo quanto irreparável. É uma forma de cuidar do seu veículo e da sua vida diariamente!

Então, gostou das dicas para cuidar do seu veículo, evitar prejuízos e situações de risco? Lembre-se de usá-las todos os dias! Se quiser saber muito mais sobre automóveis, continue no blog! 

Carro usado x novo: qual a melhor opção?

Carro usado x novo: qual a melhor opção?

Se existe alguma necessidade, desejo ou intenção de adquirir um veículo, uma dúvida é certa: carro usado ou novo, qual a melhor alternativa? É importante entender que não existe uma opção com maior destaque em todas as situações, mas, sim, aquela que se encaixa perfeitamente à sua realidade e expectativa.

Você já sabe qual a melhor opção para seu caso? Entende quais os grandes diferenciais de cada uma delas? Novo ou usado, qual escolher? Continue a leitura e acabe com essa dúvida!

Os prós e contras de comprar um 0km 

Comprar um carro 0km é a certeza de que não ficará na mão, pois ainda que algo aconteça com o automóvel, o consumidor estará protegido com a garantia do fabricante durante um período determinado. 

Além disso, o veículo sai da concessionária com a documentação regularizada, com notas e demais documentos em nome do proprietário e as visitas ao mecânico durante os primeiros 3 anos serão, muito provavelmente, somente relacionadas às revisões programadas.

Mas, como nem tudo são flores, assim como o carro novo sai da agência com toda a “papelada” pronta, ele também sai dela com depreciação de até 20% de seu valor. Portanto, tenha em mente que na hora de revendê-lo, independente do seu tempo de uso, você irá obter um valor bem menor que o pago enquanto novo.

Em contrapartida, apesar da desvalorização, é muito mais fácil vender um carro comprado na agência do que um com vários outros donos.

As vantagens de comprar um carro novo superam os benefícios de adquirir um usado?

Comprar um carro usado tem como principal vantagem o preço reduzido para aquisição. Eles possuem mais de 3 anos de uso e podem ter passado pelas mãos de mais de um dono.

Existe uma infinidade de modelos, para todos os gostos e bolsos. Usados possuem IPVAs mais baixos que os novos e com muita pesquisa pode se encontrar um negócio bem vantajoso.

Obviamente, antes de qualquer intenção de compra, é preciso uma análise minuciosa com um mecânico de sua confiança para garantir a qualidade, durabilidade e segurança do veículo.

O risco maior de comprar um carro usado é a frequência maior de manutenções, quando comparadas com carros novos ou seminovos. Além disso, alguns modelos não possuem grande disponibilidade de peças no mercado e, em certas ocasiões, encontrá-la pode ser uma grande dor de cabeça ou um desfalque no seu bolso.

É importante avaliar e ponderar as características de cada opção para escolher entre um carro usado ou novo. Não há resposta certa, tudo depende da sua necessidade e realidade. E então, já decidiu qual é a melhor opção para você? Não deixe de conhecer outras alternativas e saber mais sobre automóveis em nosso blog.